São Miguel

Património

Arquitectura

A urbe de Ponta Delgada, debruçada em redor de uma baía natural e identificada pelos três arcos das Portas da Cidade, destaca-se pela quantidade de igrejas e outros edifícios. De entre todas, a barroca Matriz de São Sebastião e a Igreja de Todos os Santos destacam-se nesta viagem arquitectónica.

No edificado da cidade da Ribeira Grande ganha vigor o jogo cromático entre a alvenaria branca e a pedra de cantaria, quer de basalto, quer de ignimbrito. Este contraste está presente nas igrejas, como a de Nossa Senhora da Estrela, servida por escadaria monumental e acompanhada de singular torre sineira negra. Mas ocorre também na Ponte dos Oito Arcos ou nos solares de varandas de ferro forjado.

Os moinhos de água testemunham tempos passados e podem ser encontrados em vários locais da ilha. Na Ribeira dos Caldeirões, no concelho do Nordeste, há elegante exemplar recuperado, enquadrado pela beleza natural da cascata na ribeira com o mesmo nome.

Cultura

Nasceram em São Miguel símbolos nacionais como o poeta Antero de Quental (1842-1891) e o político e ensaísta Teófilo Braga, eleito Presidente de Portugal em 1915. A poetisa Natália Correia (1923-1993), mulher de destacado porte cultural, cívico e político, escreveu a letra do Hino Oficial dos Açores, onde se canta: “De um destino com brio alcançado / colheremos mais frutos e flores / porque é esse o sentido sagrado / das estrelas que coroam os Açores”. Na pintura destacam-se as telas de Domingos Rebelo (1891-1975), autor do famoso quadro intitulado “Os Emigrantes”. Na escultura, ganham importância as obras de Canto da Maya (1890-1981).

O Museu Carlos Machado, instalado no Convento de Santo André, em Ponta Delgada, é um repositório ímpar da cultura açoriana, com importantes colecções de arte, etnografia regional, brinquedos, arte sacra e história natural.

Artesanato

A indústria de cerâmica e olaria tem tradição ancestral. Em Vila Franca do Campo, o barro é aplicado em peças rústicas e adaptadas ao uso quotidiano. Na Lagoa, a cerâmica ganha dotes decorativos através de desenhos onde predomina o azul. Na Ribeira Grande, ainda se pintam à mão painéis de azulejos.

Da tradição agrícola surgiram os primorosos bonecos em folha de milho, que recriam trajes regionais. Da actividade pesqueira nasceram as delicadas flores em escama de peixe que integram arranjos florais em miniatura.

Destaques

Locais a Visitar