Graciosa

  • Bordado típico da Graciosa - O que ver na Graciosa
  • Igreja de Santa Cruz  - O que visitar na Graciosa
  • Ermida de Nossa Senhora da Ajuda  - O que visitar na Graciosa
  • Moinho em pedra - O que ver na Graciosa
  • Moinhos de Pedra  - O que visitar na Graciosa
  • Paul  - O que ver na Graciosa

Património

Arquitectura

A Natureza e os elementos antrópicos que compõem a paisagem da ilha Graciosa parecem procurar uma convivência harmoniosa. Do alto do miradouro do Monte de Nossa Senhora da Ajuda, junto a uma ermida singela e digna, pode ver-se o casario branco da vila de Santa Cruz. Ao lado, vislumbram-se moinhos de vento e o reticulado dos muros que delimitam as parcelas de vinha. Antes de descer até à vila para apreciar os pormenores, repare naquela que é uma das mais curiosas associações entre o espírito inventivo do Homem e a natureza geológica dos Açores: uma praça de touros, milimetricamente circular e edificada no interior de uma cratera vulcânica.

Santa Cruz destaca-se pelas casas típicas eruelas de pavimento empedrado, ramificadas a partir da ampla praça central, onde despontam o coreto, tanques de água salobra e araucárias. A Igreja Matriz da vila tem origens no final do século XVI mas uma reconstrução mais tardia deu-lhe marcas barrocas. O património arquitectónico da ilha está preservado em vários tipos de edificações, com destaque para igrejas, ermidas, casas rurais, moinhos de vento e uma curiosa “arquitectura da água” associada a uma centenária rede de reservatórios e sistemas de abastecimento de água potável. Guadalupe, Luz e Vitória são sítios para visitar com os sentidos despertos. Na vila da Praia, cortinas rendilhadas espreitam por detrás dos vidros, barcos de pesca pintalgam o porto e gente local saúda o visitante. Moinhos recuperados magnetizam o olhar, fruto das garridas cores de portas e janelas. Por dentro, estão preparados para servir de moradia temporária, num exemplo paradigmático de turismo que aproveita a herança patrimonial.

Cultura

O Museu da Graciosa é constituído por seis núcleos expositivos e apresenta um importante repositório da etnografia local. Revela actividades tradicionais como a agricultura, a vinha, a produção cerealífera, a baleação e ofícios antigos, recorrendo à exposição de equipamentos, utensílios e documentos históricos. O núcleo central mostra o interior mobilado e decorado de uma casa típica da Graciosa. Colecções de moedas, postais, jornais e fotografias, entre outras, completam o acervo museológico.

Artesanato

A tradição das debulhadoras mantém-se viva nas já raras “burras” de milho, encontradas à beira da estrada. Na Limeira, ainda há quem coloque maçarocas a secar na construção de quatro “patas” e forma triangular; moídos os grãos, a farinha origina o pão de milho, cozinhado e consumido dentro da casa.

Na Associação de Artesãos da Ilha Graciosa, em Santa Cruz, abre-se a porta para mostrar os métodos utilizados nos bordados à mão em linho, ainda feitos com um tipo de ponto muito antigo e característico da ilha.

Destaques

Locais a Visitar