Observação de Cetáceos

Os Açores são actualmente um dos maiores santuários de baleias do mundo. Entre espécies residentes e migratórias, comuns ou raras, avistam-se mais de 20 tipos diferentes de cetáceos nas suas águas. O número impressiona e corresponde a um terço do total de espécies existentes. Estamos num ecossistema de características únicas. Com a presença das majestosas baleias e dos simpáticos golfinhos, o azul do Atlântico torna-se ainda mais mágico e abençoado em redor destas nove ilhas. E traz para os novos tempos, onde preservação é palavra-chave, um grito antigo: “Baleia à vista!”.    

 

Locais de Observação

A observação de cetáceos é uma actividade que pode ser praticada nas águas de todo o arquipélago. A facilidade de encontrar baleias e golfinhos nestas paragens foi acompanhada pelo desenvolvimento de operadores turísticos dinâmicos e respeitadores da vida animal. Há por isso vários pontos de partida, espalhados por várias ilhas, que servem de base para quem queira contactar com os encantadores mamíferos. Após a partida do barco, o vasto oceano é o cenário em que decorrem os encontros maravilhosos entre humanos e seres marinhos.   

 

Primeiro Dia de Observação

Antes da partida, um briefing explica as espécies a avistar, medidas de segurança e procedimentos a adoptar para não interferir com a vida marinha. A bordo das embarcações de fibra ou semi-rígidas, é obrigatório o colete salva-vidas. Em certas condições meteorológicas, aconselha-se o uso de calças e casaco impermeável (normalmente providenciados pelos operadores). As saídas costumam ter uma duração aproximada de três horas. O avistamento das baleias e golfinhos mistura salpicos de água salgada com um turbilhão de emoções. No regresso a terra firme, nasce o desejo de regressar ao mar.

Informações Úteis

melhor altura do ano

É possível observar cetáceos durante todo o ano, devido ao grande número de espécies existente nas águas do arquipélago. Para além das comunidades residentes como os golfinhos comuns e roazes, com quem é possível nadar, há baleias que utilizam os Açores como rota de migração. Os golfinhos pintados são mais frequentes no Verão. A baleia azul pode ser avistada com facilidade nos finais do Inverno. Cachalotes, baleias sardinheira e de barba são frequentes no Verão. Uma coisa é garantida: seja qual for a estação do ano, há sempre descobertas a fazer.

IDADE RECOMENDADA

Não há idade limite para poder apreciar esta autêntica dádiva da Natureza. Tendo em conta que cada saída para o mar tem uma duração aproximada de três horas, a idade mínima recomendada é de cinco anos. Um mar em boas condições para um adulto pode, por vezes, ser difícil de suportar por uma criança ainda muito pequena.

O QUE LEVAR

A máquina fotográfica é imprescindível. Na observação de cetáceos há momentos que só acontecem uma vez na vida. O registo em imagem é essencial para auxiliar a memória de um encontro único. Para quem não esteja habituado a navegar, a tomada de um comprimido anti-enjoo antes de embarcar pode ser uma forma de garantir que a jornada seja sempre agradável. Deve levar-se água e alimentos leves, como fruta, sandes ou barras energéticas.

Não houve avistamento?

É raro não haver avistamento. Em 98 por cento das saídas são observadas baleias ou golfinhos, seja qual for a época do ano. O nível de confiança nestes encontros com seres marinhos é de tal ordem elevado que alguns operadores comprometem-se a devolver o dinheiro do bilhete, se de facto não forem avistados golfinhos ou baleias.

ALTERNATIVAS AS SAIDAS PARA O MAR

Quando não estão reunidas as condições ideais de mar, as saídas para o mar podem ser adiadas ou canceladas. Nada de desânimo. Em terra, pode-se saber mais sobre a rica história açoriana relacionada com a baleia. Há vários museus e centros de interpretação, principalmente nas ilhas do Pico e do Faial, que servem de interessante e cativante guarida.

Outra hipótese é visitar as vigias da baleia espalhadas em pontos estratégicos das várias ilhas. Parte destas casotas que serviram a frota da caça à baleia foi recuperada e, hoje em dia, acolhem de novo olhos treinados a perscrutar o horizonte em busca de cetáceos. Na generalidade, as vigias situam-se em locais costeiros com panorâmicas surpreendentes.

Segurança

Os cetáceos que navegam pelos mares açorianos são espécies protegidas. Merecedores de cuidados especiais, esperam que os humanos minimizem as interferências no habitat paradisíaco que escolheram como casa. Observar uma baleia ou um golfinho no seu estado mais puro e natural, é um privilégio que poucas pessoas têm em todo o mundo. Deve haver um especial cuidado em cumprir as indicações e as regras de segurança que sejam dadas a bordo das embarcações. Para salvaguardar os cetáceos, residentes e migratórios, foi criado um código de conduta a que o visitante deve manter-se fiel.

 

Proibições

 

- Perseguir, perturbar e alimentar os cetáceos.

- Nadar com baleias.

- Poluir o mar.

- Fazer ruído.

- Haver mais de três embarcações em simultâneo no local de observação.

Encontre um especialista