Geoturismo

A génese dos Açores está impressa em 1766 vulcões, nove dos quais ainda placidamente activos. No subsolo, estão assinaladas quase três centenas de cavidades vulcânicas, sob a forma de grutas, algares e fendas. Na paisagem, há caldeiras secas, lagoas em crateras, campos fumarólicos e nascentes termais. No mar, encontram-se fontes geotermais submarinas. A majestosa montanha do Pico, de cone ainda intacto, parece proteger todas estas riquezas geológicas. Testemunho do poder da Natureza, o vulcanismo do arquipélago impressiona pela diversidade e gera um magnetismo especial no visitante.

 

Centros de Interpretação

Além dos centros de interpretação das cavidades vulcânicas abertas ao público, o arquipélago possui vários centros de ciência que ajudam a compreender e valorizar o geopatrimónio açoriano. O moderno Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, Faial, inclui filmes, hologramas e conteúdos multimédia. Outras paragens enriquecedoras passam pelo Observatório do Mar (Faial), Observatório do Ambiente, Museu Vulcanoespeleológico Os Montanheiros, (Terceira), Casa da Montanha (Pico), Observatório Astronómico, ExpoLAB e Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores (São Miguel).

 

Geoparque dos Açores

Está em preparação a candidatura dos Açores às Redes Europeia e Global de Geoparques, demonstração de interesse em promover e proteger o património geológico do arquipélago. A iniciativa visa ainda um desenvolvimento sustentável da população a nível ambiental, territorial, socioeconómico e cultural. A geodiversidade, a riqueza patrimonial e o valor científico, turístico e didáctico dos Açores, são os pontos fortes que sustentam esta candidatura.

Informações Úteis

Acesso

 Apenas um número limitado de grutas e algares está aberto ao público. No entanto, são conhecidas cerca de 270 cavidades naturais em todo o arquipélago. A exploração destes locais pode ser feita, para fins científicos ou desportivos, mediante o acompanhamento de guia especializado e com equipamento adequado. Há operadores locais que se dedicam à espeleologia. Pode ainda contactar o Governo Regional dos Açores, através da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, com vista à exploração destes espaços geralmente vedados ao público.

Quando?

 O encontro com o vulcanismo açoriano estende-se ao ano inteiro. A maior parte das cavidades visitáveis tem um horário fixo de aberturas durante parte do ano (geralmente coincide com as estações da Primavera e Verão). Nos restantes meses, a visita é possível mediante marcação prévia. A descoberta dos fenómenos vulcânicos a céu aberto também pode ser efectuada em qualquer altura do ano. Deve apenas ter-se em atenção as alterações meteorológicas, sobretudo no Inverno, de modo a enveredar pelos trilhos e miradouros mais adequados.

O que trazer?

 Para percorrer os trilhos e conhecer os fenómenos vulcânicos de superfície, basta trazer vontade de conhecimento e roupa de caminhada ou montanhismo. Aconselha-se o uso de calçado apropriado. O mesmo se aplica às grutas vulcânicas, dado que algumas partes do solo são irregulares e acidentadas. O equipamento especializado necessário para a visita às cavidades, como o capacete e a iluminação, é fornecido nos centros de interpretação antes do início da visita.

Visitas de estudo

 Grutas, museus e centros de interpretação estão abertos a visitas de estudo. Para agendar o melhor dia e hora, assim como obter informações adicionais, contacte o Governo Regional dos Açores, através da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar.

Um dia em família

Visitar vulcões é algo de muito especial que agrada tanto a adultos como crianças. Nos Açores, é fácil planear um roteiro que agrade a toda a família. O dia pode começar num miradouro de onde se contempla a extraordinária paisagem criada pela natureza vulcânica dos Açores. Depois, a descida às profundezas subterrâneas, numa das várias cavidades preparadas para o efeito. São locais mágicos, apropriados para a visita dos mais pequenos. Após o regresso à superfície, uma caminhada para contemplar a paisagem circundante. Sempre que o calor apertar, surge a hipótese de um refrescante mergulho numa piscina natural de lava. A visita a um museu ou centro de interpretação, responderá às perguntas surgidas durante as ricas experiências do dia passado num mundo de vulcões.

Segurança

Sempre que entrar numa cavidade vulcânica, o visitante deve ser cauteloso e interferir o mínimo possível com o ecossistema. A actividade principal é ver e apreciar. Para preservar as dádivas da Natureza, existe um conjunto de recomendações e proibições a respeitar.

Recomendado

- Mantenha-se sempre junto do guia, de modo a que este possa esclarecer as suas questões e resolver algum contratempo

- Tenha atenção às irregularidades do solo e às formações geológicas

- Respeite todas as indicações do guia

- Caminhe de forma ordeira

Proibido

- Retirar o capacete e o sistema de iluminação durante a visita

- Escrever nas paredes da cavidade

- Remover ou destruir formações geológicas

- Sair do percurso indicado

- Deitar lixo para o chão

- Fumar

Encontre um Especialista

Saiba mais

Advantage Reisen

Saiba mais

Azores Adventure Islands

Saiba mais

Futurismo Azores Adventures

Saiba mais

Geo Fun

Saiba mais

Natura Lusitana

Saiba mais

Os Montanheiros